Partidas e regressos

Pode  um livro mudar definitivamente a vida de um homem?

Pergunta insidiosa,  daquelas que só fazemos depois de ter  encontrado resposta para elas, nunca eu poderia  tê-la   formulado  na manhã baça  em que Veerle me deixou no  aeroporto de Bruxelas. Nesse momento, tudo parecia  simples: eu partia para os Açores para investigar as relações históricas entre a Flandres e o arquipélago. Dois   meses eram apenas um risco de asa  sobre três ou quatro das   ilhas a meio do Atlântico, tempo capaz de iluminar o rasto desses flamengos que um dia  trocaram  os seus lares pela incerteza de territórios ainda a inventar. Quem eram eles? Que motivos os teriam levado  a essa espécie de exílio entre a Europa e a América?

A bordo, uma dezena ou  dezena e meia  de  adolescentes quebrava a sisudez dos  passageiros,  quase todos com o ar compenetrado    daqueles funcionários que a Europa unida envia para Bruxelas em busca de  salvação para este mundo e para o outro. Acabado o tempo imposto pelas normas de segurança, alguns dos  adolescentes desapertaram os cintos e começaram a circular pelos corredores,  em visita de tagarelice aos que tinham decidido continuar sentados. Como se, de repente, um inesperado grupo de pássaros escapados ao bando  sobrevoasse «O cambista e a sua mulher»,  de Massys. Mais tarde, um deles dir-me-ia, num inglês fluente, que eram alunos açorianos  em  regresso de uma visita de estudo ao Parlamento Europeu. Ainda tentei indagar o que sabia ele desses remotos antepassados de cujo chão estivera tão perto, mas já ele voava para outro assento, onde uma jovem de cabelo ruivo e olhos claros o recebeu com um sorriso desfraldado.

Pude por isso debruçar-me sobre as páginas de Gros temps sur l’archipel,  a tradução do romance português que eu comprara  anos antes e onde, afinal,  tudo tinha começado. O nome de Vitorino Nemésio era-me desconhecido, mas uma leitura à vol d’oiseau do prefácio fizera-me  comprar o livro.  E sempre que o retomo regresso à  página 159, aquela em que se deu o encontro decisivo: «Quant aux nouvelles de Belgique, j’ai été heureuse d’apprendre par toi, cher cousin, qu’on a donc fini par trouver la pierre tombale de ce pauvre Francisco Brum dans le cimetière d’Oogenbon (je ne sais si j´écris ce nom correctement). Même si la dépense est trop élevée pour qu’on puisse faire transférer ses cendres à Faial, c’est du moins une consolation de savoir où  eles reposent.» Quem era este Francisco Brum que, perdido   o antigo  nome Bruyn,  regressara à terra dos  antepassados para morrer nela e mais uma vez se perder da família e dos amigos? Que mistério o seu,  que me fazia  repetir-lhe a viagem, mas  em sentido inverso?

Não sei quantas vezes se multiplicaram já os dois  meses iniciais nos Açores. Continuo a investigar, mas essa é apenas a forma decente de adiar um regresso  impossível. Leio agora Mau Tempo no Canal  na língua natural do romance, nas suas páginas percorro o mar e    o tempo   destas ilhas, ouço a voz da sua  gente. Troquei Veerle por Margarida e os canais de Bruges pelo canal de S. Jorge. E se  algum dia começarem a tratar-me por Brum, saberei, então,  que perdi uma pátria para ganhar outra. 

(Publicado em Azorean Spirit. Sata Magazine, n.º 55, abril-junho 2013)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

2 thoughts on “Partidas e regressos

  1. Muito bom este texto. É claro que um livro pode mudar a vida de uma pessoa e como me parece óbvio, vários livros mudam várias vezes a vida da mesma pessoa dai, a incoerencia do Homem que se cultiva.
    Abraço

  2. Pingback: urbano bettencourt | AICL – Ass. Int'l dos Colóquios da Lusofonia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s